-

Perfume da fava de baunilha vem do tempo dos astecas e dá vida nova ao arroz doce

Receita que veio com os portugueses se transforma com o Ingrediente cultuado na confeitaria

Robert Halfoun - Publicado em 09/07/2020, às 18h00

A baunilha começou a ser usada pelos Astecas, por volta de 1430. A fava suavizava e amenizava o amargor da bebida sagrada feita a base de cacau: a chocolatl. 

Muito tempo depois, quando os colonizadores espanhóis quebraram a cara tentando cultivar a flor negra nas suas terras, descobriu-se que ela é fruto da polinização de abelhas “astecas”. Alguns séculos se passaram até que um escravo de 12 anos deu um jeito de polinizar manualmente a planta cuja fava fascinava também os habitantes da ilha de Madagascar, no Oceano Índico. 

 

LEIA MAIS

» Com notas de caramelo e frutas, café da Fazenda Ouro Verde mostra o poder dos microlotes

» No Dia do Chocolate todo mundo merece um brownie macio com a casquinha crocante

 

Até hoje, ela é responsável por 90% da produção mundial da especiaria que ficou famosa mundialmente ao aromatizar o creme inglês, a base do francês crème brulée. 

Mas não é só nele que as sementes da fava de baunilha brilham. Elas, por exemplo, dão nova vida ao nosso arroz doce, que chegou aqui pelas mãos dos portugueses – embora tenha chegado à península Ibéria no século 15, com os árabes. 

A versão brasileira, aliás, é a única que leva leite condensado que, experimente, ganha instigantes notas de sofisticação com a baunilha. É provar e se apaixonar. 

 

Arroz doce com baunilha

(6 porções) 

Ingredientes

- 1 xíc. de chá de arroz 

- 3 xíc. de chá de leite 

- 2 xíc. de chá de água 

- ⅓ xíc. de chá de açúcar 

- ½ lata de leite condensado 

- 1 fava de baunilha 

- 1 pitada de sal 

- Canela em pó a gosto para servir 

 

Preparo 

• Coloque o leite numa panela média e, quando estiver quentinho (sem ferver!), acrescente as sementes de baunilha 

• Misture delicadamente e, um minutinho depois, desligue o fogo e reserve 

• Em outra panela média, coloque o leite frio, a água, o açúcar e a pitada de sal. Junte o arroz e leve ao fogo alto, mexendo até ferver  

• Abaixe o fogo e deixe cozinhar por mais 20 minutos, mexendo de vez em quando, até o os grãos ficarem macios  

• Repare que o arroz ainda estará muito líquido. Isto porque  os grãos continuam absorvendo o caldo enquanto esfriam 

• Misture o leite condensado e deixe cozinhar por mais 5 minutos para ficar cremoso 

• Transfira o arroz doce para uma tigela e cubra com filme em contato direto com o arroz (parece estranho, mas ele evita a formação de uma espécie de “nata” no doce) 

• Deixe amornar antes de levar para a geladeira – o arroz doce fica mais cremoso depois de esfriar 

• Ao servir, muita gente gosta de polvilhar canela. Mas não exagere para não mascarar o sabor da baunilha    

 

Baunilha, como usar 

 

 

» Na hora da compra, as favas devem apresentar um aroma intenso e superfície oleosa, mas suave. Evite as que apresentem secura e sinais de fungos 

 » Quando for retirar as sementes da fava use uma faca fina e lisa. Abra a fava no meio e passe a faca no sentido longitudinal, deslizando suavemente 

 » Ao usar as sementes, a casca pode ir para um pote de açúcar, para perfumá-lo (15 dias são suficientes para isso) 

» A casca também é ótima para dar uma graça a mais em molhos (retirando-a antes de servir) 

» Melhor sempre comprar e usar logo. Armazenar favas é complicado. Em Madagascar há produtores que as congelam. É mesmo a forma mais adequada de guardá-las  

» Entre todas as baunilhas, a de Uganda é considerada a Petrus entre todas as favas 

 

» Receba as notícias da SABOR.CLUB diretamente no Telegram clicando aqui  

 

>Você sabia que a revista Sabor.club tem também o Clube Sabor.club? Ele é o 1º clube de descobertas gastronômicas do Brasil. Para conhecer, clique aqui.