-

As ostras acabam dentro da taça na receita 'hermana' de dry martini

Vem de Buenos Aires um coquetel diferente que tem gosto de praia

Da redação - Publicado em 22/01/2021, às 17h00

Corre pelo mundo da coquetelaria de que o Dirty Martini (feito com a água das azeitonas) surgiu na Crimeia, para aplacar uma ressaca de Josef Stalin. Em dias comuns, o Secretário Geral do Partido Comunista tomava no desjejum um pouco de vodca e um pouco de picles mas, desta vez, no fervor da Conferência de Ialta, não havia nenhum dos dois ingredientes à mão. Winston Churchill, o estadista britânico, temendo maiores problemas misturou gim e azeitonas.

 

LEIA MAIS

» Famoso crítico inglês Simon Difford elege a melhor caipirinha

» Mint Julep deixa o uísque refrescante e nos leva às corridas de cavalo no Kentucky


Não se sabe se a mistura curou a ressaca, mas fato é que a nota salgada nesse drinque “sujo” intensifica a potência do gim. Sem arrefecer essa força, mas pensando em tornar marítimo esse sal presente no coquetel, o chef Gabriel Oggero do Crizia (restaurante com o primeiro e mais famoso oyster bar de Buenos Aires) provocou seu bartender, Santiago Perez. Resultado: um drinque elegante, que aguça fortemente os sentidos, que preenche a boca e o espírito com maresia.

 

Crizia´s Dirty Oyster Martini
(1 taça)

Ingredientes

- 75 ml de Londron

- Dry Gin (Martin Millers, Beefeater 24, Tanqueray)

- 1 colher de chá de líquido de ostras (normalmente uma unidade é suficiente)

- 1 colher de chá de “soro” feito com água mineral, gim e uma pitada de sal de Puna (pode substituir por salmoura de azeitonas de qualidade)

- 1 colher de chá da vinagrete de chalotas (a água do picles dessa cebolinha)

- 15 ml de Dry Vermouth (apenas para untar a taça)

- Twist de limão siciliano (opcional)

- 1 ostra crua

- Gelo


Preparo

  • Encha a taça de martini de gelo.
  • “Suje” a taça com o vermute.
  • Em uma coqueteleira com gelo, coloque o gim, a água das ostras, o soro (ou salmoura de azeitonas), a água das cebolinhas. Misture bem.
  • Despreze o conteúdo da taça e coe o líquido da coqueteleira nela
  • Se quiser, decore com o twist de limão siciliano, mas não esqueça de servir acompanhado pela ostra in natura

 

» Receba as notícias da SABOR.CLUB diretamente no Telegram clicando aqui  
 

» Você já conhece o Clube Sabor? É o 1º clube de descobertas gastronômicas do Brasil. Entre para ter acesso a um mundo de sabores, e ler a edição do mês da revista Sabor.Club