Fruta que se desenvolve em países tropicais gera um doce amado pela chef Roberta Sudbrack - Foto: Creative Commons

Fruta que se desenvolve em países tropicais gera um doce amado pela chef Roberta Sudbrack - Foto: Creative Commons

Doce de jaca: sim, é delicioso!

Quem nunca comeu diz que não gosta. Quem prova o doce de jaca, quer mais...

Da redação - Publicado em 26/01/2019, às 12h00

Quer fazer os olhos da chef Roberta Sudbrack revirarem? Dê para ela um doce de jaca bem feitinho e observe. Na época do seu extinto RS, no Rio, ela guardava potes com exemplares de respeito dessa iguaria do receituário nacional, em cantinhos discretos (mas não secretos! da sua cozinha.

Uma jaca "dissecada" com seus caroços, folhas e tudo mais destacados juntos à fruta

A devoção da nossa grande cozinheira é compartilhada por uma infinidade de pessoas, igualmente apaixonadas pelo doce. Quem nunca comeu diz que não gosta. Quem prova, não larga nunca mais.

A história da nossa gastronomia revela que Cora Coralina, doceira e poeta, fazia um creme dos deuses com a fruta. “Tinha textura aveludada e sabor suave”, dizem os registros. O segredo para o doce perfeito é usar a jaca dura, porque, mesmo com o cozimento e a calda de açúcar, ela mantém a textura fibrosa – fundamental para a receita. De novembro a janeiro é a melhor época para encontrar a fruta.

Aprenda a fazer o doce de jaca:

 

INGREDIENTES DO DOCE DE JACA

Serve 20 porções

- 1 kg de gomos de jacadura (limpos e sem caroço)

- 450 g de açúcar refinado

- 760 g de água

- 5 cravos da Índia

Passo a passo

1 - Em uma panela coloque o açúcar, a água e os cravos

2 - Misture tudo e deixe em fogo médio até atingir ponto de fervura

3 - Quando ferver, coloque os gomos, misture e cozinhe (sem mexer!), até que eles fiquem bem macios (o cozimento dura 1h30, em média)

4 - Tire o doce da panela e reserve em local fresco, para que ele esfrie

5 - Conserve na geladeira

Este texto foi publicado originalmente na revista Sabor.club #24 que está na melhores bancas por todo Brasil. E também na banca digital zinio. Ou assine clicando aqui.

Leia também