-

Cinema em casa: o drinque favorito de Al Capone, para ver (ou rever) o clássico Os Intocáveis

O Manhattan é feito numa proporção de 2-1-2, como o código de área do distrito que o batiza. E fica ótimo com pipoca!

Da redação - Publicado em 22/03/2020, às 19h28

Há segredos fundamentais para fazer o Manhattan: para começar, nem pense em usar vermute francês, que é seco demais. Use o italiano, um pouco mais adocicado – embora ele não vá melar a sua bebida. O uísque (o primeiro “dois” da proporção) é o que vai de nir a personalidade do drinque. Como a fórmula e origem da receita são controversos, embora sempre falemos na segunda metade do século 19, pode-se usar, rye ou Bourbon. O primeiro deixa o Manhattan mais especiado, o outro mais doce. A escolha muda a nalização. Um com uma torcidinha na casca de limão e o outro com cerejas ao maraschino, repousando sobre a taça. Que, aliás, pode ser de Dry Martini apesar de a forma tradicional sugerir a cupê. A parte nal da fórmula é sempre bitter e o mais usado é a angostura. Como o Dry Martini, o drinque pode ser batido ou mexido. A segunda opção, no entanto, é de nitivamente a mais elegante. E a preferida do Al Capone, que ajudou a popularizar o drinque, uma vez que era o seu preferido.

 

LEIA MAIS:

» La Fuerza, em Buenos Aires, produz seu próprio vermute e serve direto da torneira

» Uma deliciosa viagem (com tiradas antológicas!) pelas taças do agente 007, na sua filmografia

 

 

Manhattan

(1 drinque)

INGREDIENTES

- 2 doses de uísque (rye ou Bourbon)

- 1 dose de de vermute italiano

- 2 gotas de bitter (angostura)

 

PREPARO

  • Junte todos os ingredientes numa coqueteleira Coloque gelo, mexa com um bailarina

  • Use um coador para reservar o gelo da bebida e coloque-a na taça

 

“Não brinque com Al Capone”

Esse era o texto que o mafioso escrevia em bilhetes enviados para quem saía da linha com ele. Incluindo bartenders que derrapavam na elaboração do seu Manhattan.