Lamberto e Silvia Percussi comandam restaurante italiano em São Paulo -

Lamberto e Silvia Percussi comandam restaurante italiano em São Paulo

O restaurante italiano que nasceu da harmonização

Receitas da Ligúria e vinhos uniram os irmãos Percussi

Leticia Rocha - Publicado em 29/11/2018, às 17h00

[Colocar Alt]

ARRUMAR O ESPAÇO, SERVIR A MESA, FAZER TUDO O QUE ENVOLVE uma festa na casa de uma pessoa. Tais lembranças remetem ao tempo que os irmãos Silvia e Lamberto Percussi faziam serviço de catering, uma coisa que começou para os amigos da família, amigos dos amigos, colegas de trabalho do pai. “Éramos uns meninos, estudantes do Dante (Dante Alighieri, colégio de elite, em São Paulo), entrando pela porta dos fundos para cozinhar nas mansões do classudo bairro do Jardim Europa, em São Paulo”, comenta Lamberto. Tais histórias saltam à memória, agora que a Vinheria Percussi, o celebrado restaurante italiano que eles comandam, lança o livro Percussi: Fatto a mano (Ed. Olhares), um marco para a história da família.

Os Percussi vêm da Ligúria, no noroeste da Bota, uma nesga de terra, em formato de meia-lua, entre as montanhas sempre floridas e o mar Mediterrâneo. É um dos lugares mais lindos do mundo. Lugar de muito peixe fresco, oliveiras (e ótimo azeite) e de muitas ervas, especialmente o manjericão, tratado aqui com selo de Denominação de Origem Protegida (DOP). Isso por que é da Ligúria de onde vem o pesto, o mais famoso molho italiano. Por aquelas bandas, cada morador tem a sua receita. E, claro, não seria diferente com a Silvia Percussi.

“Éramos uns meninos entrando pela porta dos fundos para cozinhar nas mansões de bairro classudo, em São Paulo”

Com um pé cá e outro lá, desde sempre (eles vão pelo menos três vezes ao ano), ela e o irmão estiveram inseridos profundamente na cozinha que reflete a Itália em sua essência. Ela é aquela que preza a arte do casereccio, o jeito caseiro de fazer, valorizando a simplicidade e o sabor. “Mas de uma maneira atual e não aquela coisa caricata que vemos sendo reproduzida sem critério ou vivência alguma”, conta Silvia.

[Colocar Alt]

A cozinheira, digamos, aprendeu a cozinhar na marra. Assim como Lamberto, que precisou ralar bastante para se transformar em um senhor gestor e conhecedor de vinhos. A história deles com o restaurante é curiosa. O pai, Seu Luciano Percussi, resolveu investir num negócio que, a princípio, ficaria nas mãos do filho Lamberto, enquanto Silvia dava sinais para onde gostaria de ir, cursando Desenho Industrial e também uma renomada escola de decoração.

A Vinheria, como o nome sugere, começou como uma loja de vinhos que, em 1985, inovava ao servir umas comidinhas também. A ideia era ganhar no fluxo, no movimento de quem ia comprar uma garrafa e acabava ficando para comer alguma coisa. O negócio não era ruim. Mas Lamberto que voltara de Boston onde trabalhara numa loja com a ideia muito parecida, percebeu que era preciso mexer no conceito para crescer. “Já que o brasileiro não tinha a cultura do vinho, não adiantava seguir com aquele objetivo. O fluxo era pequeno. Fiz da comida o chamariz, mostrando o vinho aos poucos, com suas diferentes nuances e vertentes.”

[Colocar Alt]

Então, sem querer, veio a força que lhe faltava: uma ótima cozinheira. A irmã foi parar no negócio porque o pai virou para o filho e revelou: “Lamberto, eu investi tudo o que tinha neste negócio. Não tenho mais dinheiro para criar outra coisa para a sua irmã. Ela vai ter que trabalhar aqui também. Conversem, se resolvam, vejam como podem seguir juntos”.

No começo foi um Deus-nos-acuda, afinal, irmãos trabalhando juntos não é o cenário mais amigável do mundo. “Imagina que éramos superjovens, crus e que assumíamos um negócio em uma área nova porque o pai queria abrir algo para os filhos”, desenha Lamberto. Some-se a isso, diz, a ideia de que eram aventureiros num mundo onde havia apenas o Fasano, o Cadoro e as cantinas. “Não nos encaixávamos nesses modelos. E fazer comida italiana é um peso.”

O afeto e o respeito, contam os irmãos, foram a receita para evoluírem juntos. “Sempre fomos muito companheiros, curtimos cada vitória juntos. Seja no trabalho ou na vida pessoal”, revela Silvia. Na Vinheria, logo perceberam que o caminho era delimitar as áreas, cada um assumindo um campo do negócio. Ele com os vinhos e a administração. Ela com a cozinha e o toque de arte em tudo o que ela põe a mão – incluindo a decoração do restaurante.

“A gente fala de comida, de vinho e da Itália, porque não sabemos viver sem isso. É algo visceral para nós”

Para melhorar a performance na cozinha, Silvia fez aulas particulares com Dona Martha Kardos, professora ícone da década de 80 (mestra de nomes como o crítico Josimar Melo e a banqueteira Nina Horta). Depois, vieram outros tantos cursos, a maior parte deles na Itália.

Hoje, vida e trabalho se misturam. “A gente fala de comida, de vinho e da Itália, porque não sabemos viver sem isso. Não tem mais nada a ver com o negócio. É algo visceral para nós”, finaliza Lamberto.

Vinheria Percussi – Rua Cônego Eugênio Leite, 523, Pinheiros, São Paulo – SP. Tel.: (11) 3088-4920

 

Este texto foi publicado originalmente na revista Sabor.club #22 que está na melhores bancas por todo Brasil. E também na banca digital www.zinio.com. Ou assine clicando aqui sabor.club/assine

Leia também