-

A Soup a l’onion é um clássico eterno sempre visitado

A sopa de cebola francesa é uma das lendas que ficaram de saudoso restaurante da gastronomia paulistana

Da redação - Publicado em 31/10/2018, às 17h00

Muito antes do sucesso na TV, Erick Jacquin se firmava como um grande chef francês no Brasil, comandando a cozinha do saudoso Cafe Antique, em São Paulo, no fim dos anos 90. O lugar era um luxo. Nasceu colado a um antiquário, decorado com obras de arte, mobiliário clássico, muito bronze, prata, cristal e porcelana. Era tão imponente, porém aconchegante, que era chamado de “petit Versailles”, em referência ao magnífico palácio nos arredores de Paris.

[Colocar Alt]

Com tamanha pompa, a comida de Jacquin deixava aquilo tudo mais encantador. Da cozinha para o salão, Fred Barroso, filho do casal de restaurateurs Nancy Mattos e Francisco Barroso, donos da casa, acompanhava o movimento de muito perto. Depois, viu também o nascimento do Le Vin, restaurante que inaugurou o conceito de bistrô mais casual, no Brasil, lugar onde hoje, aos 26 anos, comanda a cozinha, não sem antes lavar pratos, ainda adolescente. 

Fred faz com perfeição os pratos que consagraram a casa, tal como Erick Jacquin colocou no menu tanto tempo atrás. Uma das lendas daqui é a soup a l’onion, a sopa de cebola gratinada. O prato milenar já era feito por gregos e romanos, mas ganhou notoriedade mundial ao receber o toque francês, que lhe dá mais consistência e crocância, com o queijo e o pão torradinhos que brilham sobre o caldo.

A primeira receita foi escrita por François Pierre La Varenne, autor de quatro dos mais influentes livros de receitas da culinária francesa moderna. E foi criada num momento em que os sabores condimentados da Idade Média davam lugar à valorização do sabor natural dos alimentos. Não só na França, mas em todo mundo, a sopa de cebola é tão adorada que foi eleita Patrimônio Imaterial pela Unesco. Em tempo, era a entrada favorita do rei Luís XVI, servida em quase todos os seus banquetes vespertinos.

INGREDIENTES

[Colocar Alt]

- 500 g de cebolas cortadas em julienne

- 200 ml de caldo de frango

- 50 g de manteiga sem sal

- 50 g de açúcar refinado

- 200 ml de vinho branco seco de boa qualidade

- 300 g de queijo gruyère ralado

- 100 g de croutons (cubos de pães torrados)

- Sal e pimenta branca a gosto

- 1 disco de massa folhada

PASSO A PASSO

[Colocar Alt]
1 - Preaqueça uma panela com manteiga
[Colocar Alt]
2 - Junte as cebolas e refogue-as em fogo brando, até que fiquem douradas
[Colocar Alt]
3 - Adicione o açúcar e refogue
[Colocar Alt]
4 - Junte o vinho branco e aguarde, até que todo o álcool evapore
[Colocar Alt]
5 - Adicione o caldo de frango e deixe cozinhar. Acerte o tempero com o sal e a pimenta branca
[Colocar Alt]
6 - Liquidifique metade da sopa e volte a mistura para a panela, deixando cozinhar por alguns instantes
[Colocar Alt]
7 - Coloque a sopa em uma sopeira, cubra com os croutons e sobre eles coloque o queijo gruyère
[Colocar Alt]
8 - Cubra com a massa folhada e coloque no forno preaquecido a 200 ºC, até ela estufar
[Colocar Alt]

9 - Delicie-se

Mas cuidado ao quebrar a casca de massa folhada. Dela, sairá um vapor pelando, porém extremamente aromático

 

 

 

[Colocar Alt]

A CASCA É OPCIONAL

A cobertura de massa folhada é um toque a mais, inspirada na lendária Soupe aux Truffes VGA, criada pelo mestre Paul Bocuse. Se preferir, depois de cobrir a sopa de cebola com o queijo e os croutons, gratine usando uma salamandra, ou coloque no forno preaquecido a 200 ºC

 

 

» Receba as notícias da SABOR.CLUB diretamente no Telegram clicando aqui  

 

» Você já conhece o Clube Sabor? É o 1º clube de descobertas gastronômicas do Brasil. Entre para ter acesso a um mundo de sabores, e ler a edição do mês da revista Sabor.Club

 

Leia também