O casal Margot Zeinad e Ricardo Ferreira vendem preciosas especiarias no Spicelab -

O casal Margot Zeinad e Ricardo Ferreira vendem preciosas especiarias no Spicelab

As preciosas especiarias do casal Margot Zeinad e Ricardo Ferreira

De tanto dar potinhos com antepastos e especiarias, os casal Margot e Ricardo resolveram dividir as preciosidades que fazem para todo mundo

Ana Rita Martins - Publicado em 04/06/2019, às 13h00

[Colocar Alt]

Cebolas caramelizando nas panelas, um descascar sem fim de alcachofras, potes e mais potes de especiarias na bancada. É assim que a casa de Margot Zeinad e Ricardo Ferreira ficava antes de receber amigos: recendendo a aromas libaneses, húngaros, espanhóis e indianos, numa mistura cultural de dar água na boca. Por causa dos inúmeros pedidos de antepastos, “Vocês podem colocar num pote para eu levar para casa?”, “Não querem preparar para eu servir numa reunião de amigos?”, a designer e o mixologista resolveram abrir, em 2016, a Spicelab, que vende pela internet antepastos, especiarias, ervas e masalas.

Entre as nove receitas de antepastos, muitas são do avô de Margot, libanês: “Ele ensinou minha avó, que era húngara, a cozinhar. Os dois adoravam antepastos. Vem deles nossas receitas de tahine negro (feito a partir do gergelim negro tostado), de cebola caramelizada, de creme de alcachofra e de creme de alho. Ah, os temperos Za’atar e o Baharat também são receitas de família”, conta. A escolha dos ingredientes é o ponto alto do trabalho de Margot e Ricardo, que só trabalham com alimentos orgânicos de pequenos produtores.

Leia também:

Como combinar sabores?

+ Quais os melhores temperos?

Quais são as melhores ervas para usar na cozinha?

[Colocar Alt]

Os nove antepastos oferecidos são preparados sem espessantes, conservantes e aromatizantes: “No tempo dos nossos avós não se usava nada disso e, hoje, muitas vezes, a indústria utiliza os espessantes para economizar nos ingredientes. Preferimos trabalhar de forma artesanal”, diz. “Também nos preocupamos que os produtos sejam nutritivos. O gergelim negro, por exemplo, é prensado a frio para não perder as propriedades, e nós mesmos fazemos sua moagem”, completa Margot. As técnicas de preparo são cuidadosas. Para fazer a cebola caramelizada, por exemplo, Margot e Ricardo não utilizam açúcar. “Nós cozinhamos a cebola lentamente, a 40º C, para que o açúcar presente no próprio ingrediente se solte aos poucos. Depois regamos com vinho Chardonnay, que ressalta o adocicado da cebola e traz um pouco de acidez, e adicionamos castanha de caju para dar textura. São oito horas para o antepasto ficar pronto.”

Além dos antepastos, a marca dispõe de dezesseis temperos. Os carros-chefes são a páprica defumada com carvalho e azevinho, importada de Ávila; o Golden Milk (masala que leva cúrcuma, pimenta preta, gengibre e canela), utilizada para preparar carnes e peixes; e a Canela Verus, importada do Sri Lanka.

Ninguém resiste ao tahine negro

[Colocar Alt]

Ele é uma pasta feita a partir de gergelim negro tostado e prensado a frio resultando em uma pasta de cor exótica com textura luxuosa e aveludada e um sabor encorpado e acastanhado.
Especialmente usado em pães e torradas, mas combina perfeitamente em molhos de salada, ou vegetais crocantes, temperado ou puro.

 

*Esta reportagem foi publicada originalmente na revista Sabor.club #27, que está na melhores bancas por todo Brasil. E também na banca digital www.zinio.com. Ou assine clicando aqui  sabor.club/assine.

Leia também