-

Na casa da artista

A carioca Izabel Alvares cresceu cercada pela arte. Hoje, usa a sensibilidade que desenvolveu para fazer comida

Robert Halfoun - Publicado em 26/10/2018, às 15h00

O LARGO DO BOTICÁRIO, NO COSME VELHO, PERTINHO DA entrada principal de quem sobe para o alto do Corcovado, é um dos pontos históricos mais lindos do Rio, com as suas casas neocoloniais, do século 19, dispostas em forma de U. Atrás delas, a exuberância da floresta de Mata Atlântica, parece emoldurar um cenário de sonho. A chef Izabel Alvares, vencedora da mais bem-sucedida edição do MasterChef, cresceu no meio de tudo isso, ouvindo música boa, muitas vezes erudita, pelas mãos do pai Eduardo Alvares, cantor de ópera, eleito inúmeras vezes o maior do Brasil. Lia muito, tocava flauta e... cozinhava. Precisava cozinhar porque, já aos 12 anos, tinha que se virar, uma vez que a mãe, bailarina, passava o dia fora numa dura rotina de aulas e ensaios – e não se entendia com as panelas.

Aí, naturalmente, vieram as influências da avó portuguesa e ela foi tomando gosto pela coisa. “Aprendi milhões de pratos com ela. ”

Comer bem já era um hábito na família. Incluindo momentos especiais, toda vez que o patriarca chegava das turnês internacionais, com a mala repleta de iguarias que na época, anos 1980, não eram nada fáceis de serem encontradas por aqui. “Ah, era uma festa. A gente descobria muita coisa que não conhecia. Eu sentia saudade dele, mas contava os dias da sua chegada também por causa das coisas que ele trazia”, conta, aos risos.

“A arte amplia o seu olhar e isso permite que você siga por caminhos inimagináveis”

Quem já viu a Izabel na tevê ou a vê nos inúmeros vídeos que ela tem na internet, como, por exemplo, no canal Magrela, identifica uma pessoa extrovertida, divertida e com colocações que revelam grande sensibilidade. Ela defende que tudo é fruto do seu envolvimento com arte, desde garotinha. “Ela amplia o seu olhar e isso permite que você siga por caminhos inimagináveis. ” E como, diz, gastronomia é arte, a conexão do que viu nos quadros, nos livros, nos discos e nos palcos é feita naturalmente. “A minha sensibilidade estética, por exemplo, é uma característica que surge sem que eu precise pensar. Quando vejo, já foi. O prato está montado. ” Izabel conta que desenha por meio deles. Com as cores, os volumes, as texturas. O que é bom para os olhos é bom para a boca. Isto é, o processo de criação da comida é muito semelhante.

[Colocar Alt]Lombo de bacalhau confitado, purê de couve-flor, farofa de raízes brasileiras: “O purê é o meu xódo. É muito sofisticado e delicado. Demorei um longo tempo para chegar no ponto e no sabor que queria.”

Para Sabor.club, por exemplo, ela criou um menu que resgata as suas memórias portuguesas, com um pensamento mais moderno, de uma comida mais leve, que aprendeu a gostar. O lombo de bacalhau, bem portuga, ganha a companhia de um purê de couve-flor, que é o seu xodó. “Ele é muito sofisticado e delicado. Leva um pouco de creme de leite e demorei um longo tempo para chegar no ponto e no sabor que queria. ”

A persistência veio muito dos três meses intensivos nos quais passou na Cordon Bleu (uma das mais tradicionais escolas de cozinha do mundo), em Paris. O curso fazia parte do prêmio para o vencedor do MasterChef. Lá, mesmo em tão pouco tempo, a cozinheira amadora se tornou uma profissional. Isto porque ela já tinha uma grande bagagem pessoal, aptidão e o talento para, ao seu jeito, pensar na construção de sabores. Com o desenvolvimento das técnicas e o aprendizado dos métodos e organização franceses, subiu o degrau que precisava. De volta ao Brasil, precisava saber o que fazer com tudo isso. Com uma condição: ficar longe de restaurantes. Ainda o no MasterChef, foi Erick Jacquin quem abriu o olho dela: “Olha, se você quiser ser uma cozinheira feliz, não abra um restaurante”. “Eu concordei de cara com ele. Não é o meu caminho. Quero andar mais solta, quero ficar mais confortável, sem ter de viver a pauleira típica de quem escolhe essa trajetória. ” A solução? “Por que não divulgar mais o low carb, fazer e desenvolver produtos nessa linha? ” Aqui, talvez, a mais virada até hoje na vida da Izabel.

[Colocar Alt]

A gorducha do reality show se transformou na pessoa magra e sorridente que ilustra a foto ao lado, com 42 quilos a menos. Na época, o sorriso já estava lá, apesar do sobrepeso. Na verdade, sempre esteve. A carioca é do tipo alto astral e bem resolvida com os passos que dá. “Eu estava casada, feliz. Nunca me preocupei com esse tipo de vaidade. ” Até que se viu na tevê e não gostou nadinha da imagem projetada ali.

Izabel sempre fora magra até que, anos atrás, se mudou do Rio para São Paulo para cuidar da promoção do estilista Carlos Miele fora do Brasil. O excesso de trabalho e ansiedade eram compensados na comida. Quando viu, estava 30 quilos mais gorda. Depois, continuou engordando sem parar. “O peso veio aos poucos e perdi a dimensão da coisa. Tomei um susto quando me vi na tevê. ” Ela diz, a telinha é um espelho cruel. “A televisão te revela claramente em três dimensões. A gente se vê de frente, de costas e de perfil, o que é assustador. ” Não tão ruim quanto sofrer um bulling nacional. “O público gostava mais do Raul (Leme, vice-campeão). Recebia mensagens pelas redes sociais de forma bem agressiva, com nomes horrorosos. Baleia era o mais levinho. ”

“A arte me ensinou a viver com muita liberdade. E ela passa também por fazer escolhas saudáveis gostosas.”

Os insultos viraram uma gana de dar uma resposta. Para os chatos e para ela mesma que já não estava mais feliz com a forma que tinha. Com a dieta low carb, perdeu peso rápido, sem sofrer, principalmente porque começou a desenvolver os produtos que cabiam no seu menu. Foram eles os primeiros a serem vendidos pelo site Magrela. Hoje, há vários outros e inúmeras receitas que não têm carboidratos complexos. De mousse de chocolate ao pão nuvem, sem um pingo de farinha. “A arte me ensinou a viver com muita liberdade. E ela passa também por fazer escolhas saudáveis e gostosas. ”

 

Este texto foi publicado originalmente na revista Sabor.club #15 que está na melhores bancas por todo Brasil. E também na banca digital www.zinio.com.Ou assine clicando aqui  sabor.club/assine

Leia também