-

Drinque com frutas, couve e feijoada faz homenagem aos antigos engenhos

Coquetel foi o vencedor de concurso carioca de cachaçaria que teve Claude Troisgros como jurado

Da redação - Publicado em 23/09/2021, às 10h09

O nome do drinque é 1661: o ano da Revolta da Cachaça, rebelião no Rio de Janeiro de senhores de engenho contra os impostos excessivos sobre a produção do aguardente, no Brasil colônia.

O coquetel do bartender carioca Jonathan Pereira foi o vencedor do concurso criado em homenagem ao Dia da Cachaça (13 de setembro) pela cachaçaria 7 Engenhos, marca cuja história se confunde com a da revolta e o inicio da produção da bebida no país.

 

 

O chef Claude Troisgros foi um dos jurados que elegeram o drinque feito com Cachaça 7 Engenhos Cerejeira, mix de cítricos com maracujá, laranja lima e limão taiti, xarope picante com infusão de camboí, e guarnição de crispy de couve, servido com um copinho de caldo de feijoada ao lado.

 

 

"Busquei meus ancestrais africanos, por parte de mãe, e holandeses, por parte de pai, e cheguei na revolta da cachaça a aos escravos que trabalhavam nas lavouras", diz Jonathan, chefe de bar da pizzaria Ferro e Farinha, premiado em cerimônia realizada na piscina do hotel Copacabana Palace.

Coquetel 1661


Ingredientes


- 50 ml de cachaça 7 Engenhos Cerejeira
- 40 ml mix de cítricos (maracujá, laranja lima e limão taiti)
- 20 ml cordial de cordial picante (3 pimentas, gengibre, alho, canela em pau, e cachaça com infusão de cambuí)
- Casca de limão siciliano e crispy de couve para finalizar, e caldinho de feijão


Preparo


Em uma coqueteleira com gelo, adicionar a cachaça, o cordial e o mix de cítricos, bater vigorosamente e fazer uma coagem simples para um copo baixo com gelo, finalizar com casca de limão siciliano, decorar com crisp de couve e acompanhar com o caldinho de feijoada

 

» Você já conhece o Sabor Clube? É o 1º clube de descobertas gastronômicas do Brasil. Entre para ter acesso a um mundo de sabores, e ler a edição do mês da revista Sabor.Club