-

Cogumelo Yanomami é a iguaria que vem da Amazônia

Das montanhas de Roraima, ele é ótimo para fazer caldos, crostas em carnes e até polvilhado sobre massas

Da redação - Publicado em 03/02/2020, às 16h41

Alguém em sã consciência e que preze pelas próprias papilas gustativas recusaria um chocolate puríssimo, feito com o admirado cacau nativo da Amazônia, sabendo que ele vem da reserva dos Yanomami, gerando renda para um povo que tem seu território invadido de forma agressiva e desmatado pelo garimpo ilegal?

Do território indígena vem ainda mais de 10 espécies de cogumelos que o grupo dos Waikás coleta nas as montanhas de Roraima, disponíveis secos ou em pó, por meio do Instituto Socioambiental (ISA), criado há 25 anos para defender bens e direitos sociais não só relativos aos povos da floresta, como ao meio ambiente e ao seu patrimônio cultural.

O instituto ainda encontra e ajuda a vender castanhas, óleos, farinhas, rapaduras e especiarias que saem de lugares como Xingu (MT e PA), Rio Negro (AM e RR) e Solimões (AM) para o Brasil e para fora daqui também, com o selo Origens Brasil, criado para ajudar o consumidor a identificar empresas que valorizam e respeitam, em suas práticas, os Territórios de Diversidade Socioambiental.

O óleo de pequi dos Kisêdjê, no Mato Grosso, é ingrediente poderoso já vendido nos EUA pela organização Culinary Culture Connections; a Pimenta Baniwa das índias do Alto Rio Negro (AM) virou ingrediente de cerveja Saison na Irlanda. Do Quilombo Porto Velho, no Vale da Ribera (SP), vêm a rapadura, a farinha de mandioca e a taiada, um doce feito com ambas, além de gengibre.

Todos esses produtos, aliás, vem sendo apresentados a chefs como Rodrigo Oliveira, que pediu para provar de tudo. A mestre Mara Salles, do Tordesilhas, é outra incentivadora do projeto. Em São Paulo, o restaurante Rainha do Mercado de Pinheiros, inclui em seus pratos inúmeros produtos que vêm da Floresta.

Também na capital paulista, a confeiteira Fernanda Valdivia, da premiada Deli Garage, já prepara até panetone feito com castanha-do-Pará e o seu óleo, adoçado com mel que vêm das comunidades indígenas do Xingu. Sobre ele, a atraente casquinha caramelizada com um tom rosado é farinha de babaçu, da Terra do Meio, no coração da Amazônia.

“Quando os cozinheiros aderem a esse tipo de ação, reúnem força e as pessoas se comunicam. Os elos se formam e aparece a pergunta importante e em relação aos produtos: onde posso comprar?", resume Fernanda. Resposta: eles estão à venda em empórios e principalmente no site do Isa. Anote: loja.socioambiental.org

O que é que a floresta tem:

- Pimenta Baniwa – Mistura de pimentas torradas e socadas com sal. Ótima para finalização de pratos.

- Óleo de babaçu – Com sabor delicado de coco, ele pode ser aquecido para frituras ou utilizado na finalização de pratos.

- Mel do Xingu – Com muita qualidade, tem as características de sabor e aroma da florada silvestre dominante na paisagem florestal de cada aldeia produtora.

- Mistura para bolo (ou mingau) de babaçu com cacau – O mais puro pó do cacau com a farinha feita com a parte branca e fibrosa que fica entre a amêndoa e a casca do coco maduro, que cai naturalmente das palmeiras.

- Farinha de babaçu – Diz a Bela Gil: “Substitui muito bem o amido de milho para engrossar caldos e sopas. Dá para fazer mingau, bolos, pães. É uma maravilha!”

- Óleo de pequi do povo Kisêdjê – Extraído a frio, concentra o sabor da fruta.

- Cogumelo Yanomami (em pó) – Mix com mais de 10 espécies de cogumelos. É ótimo para fazer caldos para uso diversos, crostas em carnes, peixes e aves,

ao forno, e ainda polvilhado sobre massas.

- Cogumelo Yanomami (inteiro) – Com textura firme pode ser usado nas mais diversas receitas.

 

Queijo coalho assado com pó de cogumelos Yanomami 

INGREDIENTES
- 300 g de queijo coalho      
- 15 ml de sumo de limão 
- 20 g de manteiga 
- 1 colher de sopa rasa de cogumelos em pó 
- Pimenta do Reino a gosto 

 

PREPARO

  • Corte uma fatia grosseira da barra de queijo coalho no sentido do comprimento 

  • Com ajuda de um pincel, passe manteiga e limão 

  • Polvilhe o pó de cogumelos sobre toda a fatia e leve ao forno a 200º C por cerca de 10 minutos ou até o queijo estar levemente derretido 

  • Retire do forno, adicione a pimenta do reino a gosto e sirva em seguida