-

A história dos clássicos gelados é tão gostosa como a banana split

Os ícones da sorveteria criados no século 19 estão meio sumidos. Mas tem muita gente que anda com saudade deles

Da redação - Publicado em 16/03/2021, às 18h00

Taças altas recheadas com bolas geladas de diferentes sabores, geralmente cobertas com caldas açucaradas e coroadas por generosas nuvens de chantilly. Para arrematar, farofas crocantes de amêndoas e castanhas de todo tipo são salpicadas no topo cuja cereja reina absoluta. Podem haver confeitos de chocolate, frutas e farofas crocantes de nozes e castanhas. Só não pode faltar sorvete. Difícil saber em que momento surgiram as sobremesas a base desse cobiçado alimento gelado. Mas é certo que a paixão da humanidade por elas é antiga e voraz. Bem antes do sundae, do milk shake, da banana split e da cassata se tornarem mundialmente amados, as civilizações antigas não mediam esforços em busca de gelo para fazer composições adocicadas e geladas.

 

LEIA MAIS

» Que tal um chá gelado com fruta fresca? Cinco opções para corpo e alma

» Raspadinha para maiores, o drinque Frosé refresca até a alma

 

Banana Split

• Corte uma banana ao meio e coloque uma fatia de cada lado em uma taça com formato de canoa (de preferência).

• Sobre a fruta disponha três bolas de diferentes sabores de sorvete. Os originais são creme, morango e chocolate. Mas você pode variar.

• Decore cada bola com chantilly, calda, confeitos, nozes e castanhas e cerejas no topo.

 

 

Milk shake

• No liquidificador bata o sorvete de creme com um pouco leite até obter uma consistência cremosa.

• Decore uma taça alta com calda de chocolate e despeje a mistura.

• Finalize com chantilly e morango.

 

Colegial

• Numa taça baixa e de boca larga decore as laterais com caramelo e coloque algumas bolas de sorvete de sua preferência.

• Finalize com chantilly, lascas de amêndoas e chocolate.

 

Cassata com frutas secas

• Misture sorvete de nata, pistache, laranja cristalizada, uva passa e cereja em calda (sem a calda) e chantilly.

• Forre uma forma de pão retangular com plástico filme e despeje a mistura da cassata e cubra com uma fatia de pão de ló. Leve ao freezer por no mínimo umas 6 horas.

• Antes de servir, desenforme e decore como quiser. Pode ser com frutas, marzipã ou ganache de chocolate com frutas.

 

Sundae

• Primeiro decore a taça alta com calda de morango.

• Monte com duas bolas de sorvete de nata.

• Finalize com mais calda, farinha de castanha de caju, morangos e uma cereja amarena ou maraschino.

 

História dos clássicos

Partindo-se do pressuposto de que O sorvete sozinho já é uma sobremesa, já em 1700 ele era presença exaltada em mesas de nobres e reis nas belíssimas composições que impressionavam os convidados. “Mas a primeira distinção de receita de sobremesa com gelato que ganhou fama mundial é a Pesca Melba, de Auguste Escoffier. A criação remonta ao final do século 19, em Londres”, revela Palmiro Bruschi, instrutor e consultor da Carpigiani Gelato University e membro da Italian Gelato Academy.

 

 

Uma espécie de antecessora do sundae e da banana split, a Pesca Melba é a mãe de todas a sobremesas modernas a base de sorvete. Ela combina pêssegos escalfados em calda de açúcar com purê de framboesa e sorvete de baunilha. Há versões que fogem um pouco da original e incluem chantilly, amêndoas em lascas ou mesmo caramelo. Qualquer semelhança com as taças mais atuais não é mera coincidência.

O sundae é exemplo disso. Ícone do american way of life no final do século 19, leva esse nome porque teria sido inventada e tradicionalmente servida aos domingos – sunday. O seu possível autor, Chester Platt, um farmacêutico na cidade universitária de Ithaca, Nova York, mudou a grafia do nome para não ofender os religiosos locais, que consideravam o dia sagrado.

 

 

Apesar das controvérsias, é de Platt também o crédito pela banana split: banana splits down the middle. Reza a lenda que ao ser desafiado por um cliente a servir uma novidade, ele teria cortado a fruta (recém-chegada aos EUA) no sentido do comprimento, disposto numa taça em forma de canoa e coroado com três bolas de sorvete (creme, morango e chocolate), depois coberto com chantily, castanhas ou nozes picadas e uma cereja por cima década bola. Isso tudo em 1892, segundo Michael Turback, autor de A Month of Sundaes e The Banana Split Book.

Numa linha mais tradicional e caseira, temos a Cassata. Hoje a receita é conhecida como uma espécie de bolo de galato com frutas cristalizadas e pão de ló. Mas nem sempre foi assim. A receita original siciliana muito popular em Palermo surgiu no século 18 por influência árabe. Era feita com marzipã, ricota e frutas cristalizadas. Só mais tarde foi introduzido o pão de ló e o gelato.

 

» Receba as notícias da SABOR.CLUB diretamente no Telegram clicando aqui  

 

» Você já conhece o Clube Sabor? É o 1º clube de descobertas gastronômicas do Brasil. Entre para ter acesso a um mundo de sabores, e ler a edição do mês da revista Sabor.Club

 

Leia também