Ana Sampaio e Tiz Dias da Silva: em busca da rillete perfeita, pelo interior da França -

Ana Sampaio e Tiz Dias da Silva: em busca da rillete perfeita, pelo interior da França

Atelier de Terrine e o melhor da charcuterie francesa

Irmãs paulistanas fazem charcuterie francesa como nos rincões da terra de Escoffier

Da redação - Publicado em 30/09/2019, às 15h00

Durante anos houve uma equivocada ideia no Brasil sobre quem eram os grandes mestres da charcutaria no mundo. Como crescemos entendendo que ela diz respeito a linguiças e salsichas, a ideia de que os alemães mandavam nesse assunto ficou muito tempo viva nas nossas mentes.

A verdade, no entanto, é que os franceses também são as grandes referências mundiais na charcutaria. Arte culinária que encanta tanta gente, como as irmãs Ana Sampaio e Tiz Dias da Silva, uma gestora de projetos em bancos, outra diretora de escola. E ambas grandes amantes da gastronomia francesa. Especialmente dos patês, terrines e rillettes que sempre exploravam nas viagens para a França.

Leia mais:

+ Sanduíche de pulled pork por Daniel Lee

Tatianna Cirinno: a mestre na charcutaria natural

Embutidos: um guia para saber se são curados e fermentados ou curados e defumados

 

As experiências foram a grande inspiração para o nascimento, em 2017, do Atelier de Terrine, que teve como primeiro produto a mousse de foie, iguaria que Ana já preparava faz tempo. Mas como era preciso rechear o portfólio da marca que queriam lançar, as irmãs passaram alguns meses na cozinha testando receitas, até conseguirem chegar a um pequeno menu com o autêntico sabor da França. E foi assim que, além da mousse de foie, que virou o carro-chefe da empresa, passaram a produzir também as terrines e rilletes de pato e porco, o pâté de campagne, e, mais recentemente, incluíram também uma rillette de salmão e uma versão veggie da terrine batizada de verrine de mascarpone, receita que ainda leva mel, queijo gorgonzola e figo turco. Em breve, querem lançar ainda uma rillete de coelho e outra de vegetais.

[Colocar Alt]

Quem prova os produtos não esquece. A partir da experiência do gosto, de uma mão daquelas para cozinhar e te muita tentativa erro Ana e Tiz chegam a um resultado raro de ver por aqui – com característica legítima da comida feita nos rincões franceses.

A Atelier de Terrine vende em feiras gastronômicas e por encomendas, principalmente via whatsApp (as pessoas costumam pegar o contato delas pelo site, facebook e pelo instagram da marca).

Sanduíche de rillette de porc

[Colocar Alt]

A rillette é uma charcutaria de gosto marcante e consideravelmente gordurosa. Por isso, pede a companhia de pão crocante e acidez. Um belo sanduíche de rillette é um clássico nos campos franceses. Facílimo de fazer: basta passar manteiga numa das bandas do pão, colocar picles em rodelas sobre ela e depois uma boa quantidade de rillete. Feche com a outra banda do pão e... nhac!

Mais do que embutidos

Linguiças e salsichas são os produtos mais associados a charcutarie, que vai muito além deles

Pâté de campagne – Feito tradicionalmente com pernil, bacon, fígado de galinha, com especiarias e pistache.

Rillettes – Carnes cozidas por horas na própria gordura até desfiarem e ficarem com a consistência de um patê.

Terrine – Espécie de patê com uma estrutura mais consistente feita normalmente com uma mistura de carnes processadas e que recebe esse nome por ser preparado no forno em um recipiente chamado terrina.

 

Este texto foi publicado originalmente na revista Sabor.club #31 que está na melhores bancas por todo Brasil. E também na banca digital www.zinio.com. 

ASSINE JÁ A REVISTA SABOR.CLUB. DESCONTOS DE ATÉ 76%

Leia também