- David S. Holloway/Courtesy CNN

David S. Holloway/Courtesy CNN

"Morre resistência a hipocrisia gastronômica"

A figura debochada do Anthony Bourdain, diz Bel Coelho, em depoimento exclusivo, era a forma dele enfrentar a caretice da cozinha

Da redação - Publicado em 08/06/2018, às 12h22

 “Eu conheci o Anthony Bourdain numa aula no CIA, Culinary Institute of America, em Nova York, quando estudei lá. Depois o reencontrei no D.O.M., no Brasil.

Ele me inspirou muito para o programa Receita de Viagem (exibido no canal TLC), porque sempre quis fazer algo que tivesse um viés social, humano, antropológico. E o trabalho dele tinha muito isso.

Ele enfrentava com a atitude dele toda a caretice do meio gastronômico e a ideia de que gastronomia é para poucos, algo exclusivo – o que, no fundo, é uma hipocrisia.

A figura debochada dele era uma resposta a tudo isso. Era um cara que trazia empatia para o lado humano da cozinha. E não só dela, mas  também da produção, do produtor. Vai fazer muita falta nesse sentido.

Anthony Bourdain era mais do que um cozinheiro profissional, era um cara interessado nas pessoas, nas histórias delas. E isso tem um valor muito especial. A comida, afinal, tem um aspecto cultural, humano.

Morre um progressista, com uma atitude transgressora, num meio extremamente formal. Ele visitava chefs famosos, sem endeusá-los. Dava mais atenção para os grandes cozinheiros anônimos.”

“Não coma antes de ler isto”

Artigo projetou Anthony Bourdain, morto nesta sexta-feira, aos 61 anos. A causa da morte, confirmada pela rede de televisão CNN, é suicídio

O chef e apresentador estava em Estrasburgo, na França, gravando seu programa de TV, o Parts Unknown, que explora culturas culinárias por diversas regiões do mundo. Foi encontrado pelo seu amigo, o chef francês Eric Ripert, em seu quarto de hotel nesta manhã.

Anthony nasceu em Nova York, em 25 de junho de 1956. Formou-se no Culinary Institute of America. Um veterano com currículo invejável de 28 anos em cozinhas profissionais, como dos restaurantes de alta classe Supper Club, One Fifth Avenue e o Sullivan's, o que o levou a se tornar chef executivo na Brasserie Les Halles, em Manhattan, 1998.

Um ano depois, escreveu o artigo “Não coma antes de ler isto”, para a revista americana The New Yorker. Ele deu origem ao best seller Cozinha Confidencial, que relata a sua experiência nos "recantos escuros do submundo" das cozinhas mais famosas do mundo. O que impulsionou sua fama pelo mundo inteiro.

Foi parar na TV, no canal The Food Network, em 2002, com o programa A Cook's Tour. Depois apresentou o Anthony Bourdain: No Reservations, no Travel Channel, de 2005 a 2012, programa premiado com dois Emmys. Desde 2013 apresentava o Parts Unknow, também ganhador de cinco Emmys.

Bourdain foi casado por duas vezes, a primeira com sua namorada dos tempos de escola, Nancy Putkoski, durante duas décadas, até 2005. O segundo, com Ottavia Busia, que se deu fim em 2011, com quem teve uma filha, Ariane, hoje com 10 anos.