- Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

Mi Buenos Aires querida

Um guia de insider, com 10 verdadeiros achados de onde comer e beber na capital argentina

Fernanda Meneguetti - Publicado em 13/03/2018, às 06h00 - Atualizado às 08h35

Com planos de visitar Buenos Aires? A nossa dica é aproveitar a capital argentina a partir deste roteiro de 10 novidades deliciosas totalmente fora dos guias tradicionais da cidade. 

 

1 - Ocho 7 Ocho

A porta gigante e austera esconde o pai dos speakeasies de Buenos Aires. O Ocho 7 Ocho fica numa rua tranquila, num antigo bairro operário. O porteiro autoriza a entrada para uma salona que parece a da casa de um amigo. Aí, basta se acomodar no sofá e aproveitar a carta com mais de 50 opções de coquetéis, em categorias como amargos, tônicos e vínicos.
Thames 878, Villa Crespo. Tel.: +54 11 4773 1098.

 

 


2 - Florería Atlántico

A vocação notívaga Florería Atlántico vai além da lojinha charmosa: ela guarda passagem a um oásis da coquetelaria, um paraíso do Gin Tônica Comandada por Tato Giovannoni, barman mais famoso do país. Ele usa seu próprio gim (o Los Apostoles) e suas tônicas misturados a especiarias e outros ingredientes de personalidade.
Arroyo 872, Recoleta, Tel.: +54 11 4313 6093.

 

 


3 - Oviedo

O restaurante Oviedo acabou de se tornar balzaquiano. Há 30 anos numa mesma esquina da Recoleta, sob a batuta de Emilio Garip, espécie de “padrinho” de chefs e restaurateurs argentinos, a casa mediterrânea se apoia em produtos fresquíssimos, numa cozinha high-tech e num chef, Ramón Chiliguay, constantemente em reciclagem mundo afora. Falando assim, parece um lugar intimidador, ainda mais se considerada a adega de 750 rótulos e 18 mil garrafas – a mais importante do país. Contudo, Garip garante a suavidade do ambiente, a leveza dos pratos e o serviço amigáveis. Um clássico vibrante. 
Beruti 2602, Recoleta. Tel.: +54 11 4821-3741.

 

 


4 - Don Julio

Quinhentos bois de vida digna, criados em campos abertos na região pampeana, chegam mensalmente ao açougue Don Julio, a poucos metros da parrilla homônima em Palermo, onde são destrinchados com afinco e precisão. De lá, partem para a grelha. O hit da casa é o ojo de bife, mas vale ir até a cozinha aberta e olhar os cortes, antes de se decidir.
Guatemala 4699, Palermo. Tel.: +54 11 4832-6058.

 

 


5 - Shout

O nome Shout é uma provocação, já que ele funciona na surdina, numa mansão de três andares, próxima ao centro de Buenos Aires. O andar principal tem uma cozinha aberta e um longo balcão, onde a dica é se aconchegar e render a combinações originais de destilados, refrigerantes e xaropes artesanais, ervas e flores. A saideira pode ser apreciada no topo do casarão, num charmoso terraço.
Maipú 981, Retiro. Tel.: +54 11 4313-2850.

 

 


6 - Uco

A adega do Uco, dentro do descolado hotel Fierro, tem 400 rótulos. Com muito espaço para micro e pequenas bodegas. Na carta, há opções diárias de taças de vinhos de butique, desses que dificilmente se vêem em grandes lojas. Todas explicadas com propriedade e que dialogam de igual para igual com a cozinha “sem ego”, pautada por uma charcuteria caseira bem feita, pães, massas e confeitaria igualmente artesanais, assim como por produtos sazonais escolhidos a dedo.
Soler, 5862, Palermo. Tel.: + 54 11 3220-6800.

 

 


7 - Harrison

Ainda que o Harrison, um speakeasy de verdade, não tenha telefone e não divulgue o endereço, muita gente sabe que ele fica no Nicky NY Sushi, em Palermo. A questão é: como entrar? Vale jantar no Nicky e adular o garçom, ou então, vasculhar via redes sociais um atalho para a senha. Uma vez lá dentro, deixe o jazzinho na vitrola te levar aos anos 1920 e te lançar às taças de cristal, jogos de chá de antiquário, porcelana chinesa e recipientes inusitados ocupados por drinques perfeitos.
Malabia 1764, Palermo.

 

 


8 - Chila

Soledad Nardelli é a única mulher do país na lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina. Seu modernoso Chila, na beira do rio da Prata, revela, com técnicas e sabores apurados, viagens e pesquisas profundas pelo território argentino. Resgata produtos e receitas emblemáticas e os veste em roupagem irreconhecível – seus tamales são de milho roxo e parecem dois vagõezinhos coloridos; seu vacío é uma lasca dry aged. Há duas alternativas de menus (de três ou sete cursos) que podem ser harmonizados.
Alicia Moreau de Justo 1160, Puerto Madero. Tel.: +54 11 4343-6067.

 

 


9 - Carne

Carne é uma hamburgueria de autor. No caso, Mauro Colagreco, dono de duas estrelas Michelin na Côte D’Azur. Ela fica em Olivos, um misto do bairro carioca de Botafogo e do paulistano de Pinheiros, na zona norte de Buenos Aires. Aqui, só há gado argentino de qualidade superior, vegetais orgânicos de origem controlada e pães assados em forno de barro por um amigo de infância do chef. Tudo para a produção de hambúrgueres e molhos simples. Libertador 2417, Olivos. Tel.: +54 11 5184-7223.

 

 


10 - Nuestro Secreto e Verne Club

Imperdíveis: o brunch com churrasco, empanadas, achuras, muito dulce de leche do Nuestro Secreto, no hotel Four Seasons (Posadas 1086/88, Recoleta. Tel.: +54 11 4321-1200); e os drinques clássicos do badalado Verne Club. (Av. Medrano, 1475, Palermo).

 

 


*Esta matéria foi publicada originalmente na edição #2 da revista Sabor.Club. Acesse www.sabor.club/assine